Internacional Negócios Notícias Renault

Renault vendeu mais em 2015 no mundo

Considerando todos os mercados em que a Renault atua, a montadora registrou um aumento global de 3,3%, no número de emplacamentos em 2015. Sendo assim, alcançou um total de 2,8 milhões de veículos em um mercado que avançou 1,6%. Este crescimento representa um novo recorde de vendas para a montadora francesa e resulta em uma participação no mercado mundial 3,2%.

O Grupo continua a se beneficiar do dinamismo do mercado automobilístico europeu (+9,4%), com progressão de emplacamentos da ordem de 10,2%, com 1.613.499 veículos, para uma participação de mercado de 10,1%. Fora da Europa, apesar da crise econômica na Rússia e América Latina, o Grupo ainda apresenta ganhos de participação de mercado na África, Oriente Médio, Índia e Eurásia.

“Mais uma vez as vendas do Grupo Renault estiveram em alta em 2015 e batemos um novo recorde. Apesar das situações econômicas ainda desiguais de uma região para a outra, nossa progressão se mantém constante, validando a estratégia de diversificação geográfica iniciada há alguns anos”, destaca Thierry Koskas, diretor Comercial do Grupo.

A montadora se destaca no mercado de veículos utilitários, com 269.203 emplacamentos (+16,9%) e ganho de participação de mercado de 0,7 ponto. Dez anos após seu lançamento na Europa, a marca Dacia apresenta novo aumento de emplacamentos em 2015 (+3,6%) e recorde de vendas, com 374.458 emplacamentos no ano.

Mercados internacionais – Na região Américas foram 355.151 emplacamentos, queda de 14,8%. Ainda assim, alcançou uma participação de mercado de 6,3% (-0,1%). No Brasil, 2º mercado do Grupo, a participação de mercado aumentou 0,2%, em um nível jamais atingido de 7,3%, em um mercado em recuo de 25,5%. Com comercialização iniciada no final do ano, a picape Duster Oroch já está em segundo lugar em seu segmento no Brasil. A aceleração da Renault neste segmento deve manter o crescimento na região durante os próximos meses.

Na Argentina, o Grupo conteve o recuo de seus emplacamentos para -6,5% graças à performance registrada no último trimestre, com participação de mercado de 14,7% (12,7% no ano); na Colômbia, a Renault fortaleceu claramente suas posições, com participação de mercado em progressão de 2 pontos, ficando em 18,6%.

Na Ásia Pacífico, houve uma estabilização do nível de vendas após a forte progressão registrada em 2014 na Coreia, primeiro mercado do Grupo na região; na China, em 2015 foi dada prioridade ao lançamento da versão chinesa do Kadjar, primeiro veículo produzido localmente pela joint venture Dongfeng Renault; na Eurásia, a participação de mercado do Grupo avançou 1,6 ponto, ficando em 11,9%, principalmente graças ao dinamismo na Turquia (+21.7%), onde bateu novo recorde de vendas. O crescimento na maioria dos países da região permite compensar as consequências da crise econômica na Rússia, onde o mercado está em queda de mais de 35% e os emplacamentos do Grupo Renault atingiram 38,1%. A participação de mercado se mantém praticamente estável em 7,5%, resultado de uma política de preservação das margens.

Na região África / Oriente Médio / Índia, os emplacamentos do Grupo estão em alta de aproximadamente 17%, para uma participação de mercado de 4,5% (+0,7 ponto). O Grupo responde por mais de um terço do mercado no Norte da África.

Elétricos – Em 2015, a Renault emplacou 23.086 veículos 100% elétricos na Europa, o que corresponde a 25,2% de um segmento que respondeu por 97.687 unidades no total, um crescimento de 47,8% em relação a 2014. Apesar da melhora no desempenho de vendas, os veículos elétricos representam apenas 0,61% (+0,16% em relação a 2014) de todo o parque circulante na Europa.

O comercial leve Renault Kangoo Z.E. teve 4.325 unidades comercializadas em 2015, representando 42,6% de todo o mercado de utilitários elétricos.

Projeções 2016 – Em 2016, o mercado mundial deve ter crescimento de 1 a 2% em relação a 2015. O mercado europeu deve registrar alta de 2%, com progressão de 2% na França. Nos mercados internacionais, os mercados brasileiro e russo devem continuar em recuo de 6% e 12%, respectivamente. Por outro lado, a China (+4 a 5%) e a Índia (+8%) devem manter uma dinâmica de crescimento.

Neste contexto, com um planejamento de produto bastante importante neste ano, a progressão na Índia e a nova ofensiva na China, o Grupo Renault prevê: 1) aceleração do crescimento das vendas mundiais; 2) fortalecimento da marca Renault na Europa; 3) progressão em cada uma de suas cinco regiões.

Nosso crescimento vai acelerar em 2016 e vamos progredir em nossas regiões, apoiados pela dinâmica comercial dos três últimos anos, uma gama de produtos amplamente renovada em 2015 e 2016 e nossa expansão na Índia e na China”, afirma Koskas.

Related Posts