Produtor paulista utiliza TCP para exportação de amendoim

7
Produtor de Tupã (SP) obteve redução de 20% nos custos logísticos com uso do Terminal para exportar para África, América e Ásia.

Um produtor paulista da região de Tupã, cidade localizada a aproximadamente 675 quilômetros de Paranaguá, está utilizando os serviços prestados pela TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, para escoar sua produção para países localizados em continentes como América, África e Ásia. A operação de exportação pelo Paraná teve início no final de 2016 e já contabilizou mais de quatro mil toneladas do produto movimentadas.

De acordo com o diretor Superintendente Comercial da TCP, Juarez Moraes e Silva, a operação via Paranaguá ficou até 20% mais barata. “A TCP fez um trabalho comercial para tornar a operação mais atrativa para o exportador, oferecendo uma redução de custos logísticos, principalmente, no modal rodoviário. Isso foi possível graças às parcerias que o Terminal possui com transportadoras paranaenses que oferecem fretes com valores reduzidos se comparados aos valores praticados em São Paulo”, enfatiza.

Outra vantagem oferecida para o exportador é a liberação rápida pelos órgãos intervenientes no Porto. “A TCP conta com vistorias diárias, inclusive aos sábados, de órgãos intervenientes como o Ministério da Agricultura e Receita Federal. Isso permite que a carga fique menos tempo parada no Terminal e esteja apta para o embarque em um prazo de dois ou três dias”, explica.

Após receber investimentos de R$ 365 milhões, a TCP atualmente tem capacidade para movimentar 1,5 milhão de TEUs/ano, conta com 320 mil m² de área de armazenagem e oferece três berços de atracação.

A intenção é que, em breve, o Terminal também passe a vistoriar cargas de amendoim que tenham como destino a Europa. “A Europa requer uma fiscalização muito específica por parte do Ministério da Agricultura. Hoje, há somente dois locais próximos aos produtores da região de Tupã habilitados a realizar a liberação de cargas de amendoim que têm como destino aquele continente, entretanto, esses locais estão fora da região de influência da TCP”, explica Moraes e Silva. “Para possibilitar ao exportador escoar a produção por Paranaguá, estamos investindo em equipamentos para cumprir as exigências do Ministério da Agricultura visando a homologação do Terminal como um ponto de vistoria”, ressalta.

Para que isso seja possível, o Terminal está adquirindo equipamentos como termo-higrômetros, esteira transportadora e costuradeira de sacas. “Todo esse material será instalado no armazém de importação, em Paranaguá, que tem 12 mil metros quadrados e é um dos mais modernos na área de influência”, finaliza.

Sobre o TCP – A TCP é a empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá – um dos maiores terminais de contêineres da América do Sul, e a empresa de serviços logísticos TCP Log.

Após receber investimentos de R$ 365 milhões, um dos maiores aportes privados do setor portuário brasileiro nos últimos anos, a TCP atualmente tem capacidade para movimentar 1,5 milhão de TEUs/ano, conta com 320 mil m² de área de armazenagem e oferece três berços de atracação, com extensão total de 879 metros, além de dolfins exclusivos para operação de navios de veículos.

A atuação do terminal é complementada pela TCP Log, que oferece serviços de integração da cadeia logística; como armazenagem, estrutura para carregamento e descarregamento de contêineres, pátio para contêineres e transporte do modal rodo ferroviário ao terminal em Paranaguá.