Destaque ONU

Portos combatem a logística do mercado negro

Contêineres

Gustavo Queiroz

Os portos, de todo o planeta, recebem o embarque e o desembarque de contêineres carregados com drogas, armas e contrabando de produtos e animais. São tantos carregamentos usados para fins ilícitos, que os recursos de fiscalização são absolutamente insuficientes para combater a logística do crime com a eficiência necessária.

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), unidades policiais treinadas conseguiram interceptar grandes carregamentos de drogas traficadas na América Latina e no Caribe este ano, com destaque para a maior apreensão da história do porto de Santos (SP), com 2,8 toneladas de cocaína somente no mês de março.

As apreensões foram promovidas por unidades envolvidas em um programa conjunto do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e da Organização Mundial das Alfândegas (OMA). A ONU informa que, enquanto a maioria dos contêineres transportam mercadorias legais, uma pequena porcentagem carrega cargas ilícitas como drogas. Entretanto, uma pequena porcentagem de carregamento ilícito, ainda assim, pode ser uma grande quantidade se comparado com os milhares de contêineres movimentados diariamente nos grandes portos, como o de Santos.

As Unidades de Controle Portuário da alfândega e da polícia trabalham em alguns dos portos mais movimentados do mundo e são treinadas para combater o tráfico de drogas, produtos químicos, mercadorias e vida selvagem.

Recentemente, a unidade no Equador apreendeu dois contêineres com mais de uma tonelada de cocaína. Da mesma forma, a Unidade do Porto de Callao, no Peru, apreendeu um contêiner com 1,5 tonelada da droga. Essas unidades estão no centro de um programa conjunto lançado em 2003 pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pela Organização Mundial das Alfândegas (OMA).

A ONU tem como objetivo capacitar autoridades alfandegárias e policiais na América Latina e no Caribe, e em outros lugares, para detectar e interromper o fluxo de tráfico de mercadorias ilícitas, facilitando o comércio legítimo e aumentando a arrecadação dos Estados.

A cada ano, mais de 720 milhões de contêineres se deslocam pelos oceanos, transportando 90% da carga mundial. “O Programa de Controle de Contêineres se tornou um dos mais efetivos e orientados para resultados do mundo”, informou Tofik Murshudlu, chefe da seção de implementação e apoio do UNODC. “O programa também ajuda Estados-membros a construir capacidades e conhecimentos para identificar e apreender contêineres suspeitos”, completou.

De acordo com o UNODC, 18 operações apreenderam mais de 8,9 toneladas de drogas no primeiro quadrimestre de 2018. Além disso, 18 contêineres foram apreendidos devido a violações de direitos de propriedade intelectual.

Até agora, o programa está operando em 14 países latino-americanos e caribenhos, fornecendo visitas, avaliações técnicas, treinamentos e outros apoios para criar estruturas de longo prazo para aplicação da lei em portos selecionados. O Programa de Controle de Contêineres também está operacional em Burkina Faso, Cabo Verde, Gana, Paquistão, Senegal, Togo e Turcomenistão.

Related Posts